PT | EN

Rota da Covilhã, Cidade-Fábrica

Através de três percursos urbanos, circulares e complementares entre si, a Rota da Covilhã, propõe uma visita aos espaços mais significativos da indústria de lanifícios da cidade, dando a conhecer as áreas musealizadas centradas na salvaguarda de testemunhos industriais, os núcleos da Real Fábrica de Panos, Real Fábrica Veiga e Râmolas de Sol do Museu de Lanifícios, e um vasto património industrial disseminado pela cidade, abarcando edifícios fabris, estendedouros e râmolas de sol, chaminés, maquinismos, palacetes, bairros operários e outras infraestruturas.

Ver Mapa Rota da Covilhã Cidade-Fábrica

 

Itinerário 1 - Percurso da ribeira da Goldra [ver PDF]

Tem início no caminho do Biribau, na Real Fábrica Veiga, antiga sede de uma empresa de lanifícios histórica, fundada em 1784, por José Mendes Veiga, atualmente sede e núcleo museológico do Museu de Lanifícios da UBI.

 

 

Itinerário 2 - Percurso da ribeira da Carpinteira [ PDF parte 1 e parte 2]

Tem início na rua Marquês d'Ávila e Bolama, na Real Fábrica de Panos, manufactura de Estado, fundada em 1764 pelo Marquês de Pombal, que funcionou como fábrica até 1885. Na área das tinturarias foi instituído,  em 1989, o primeiro núcleo museológico do Museu de Lanifícios da UBI.

 

 

Itinerário 3 - Centro histórico [ver PDF]

O itinerário proposto sobrepõe-se inicialmente com o percurso da ribeira da Carpinteira, entre o Núcleo da Real Fábrica de Panos do Museu de Lanifícios da UBI e o cruzamento da rua Marquês d'Ávila e Bolama com a rua do Peso da Lã.